top of page

Receita Federal aprende em São Paulo mais 20 mil garrafas clandestinas de vinhos



A Receita Federal em São Paulo deflagrou na manhã desta 5ª feira (29/09/2022) a Operação Evoé, com o objetivo de combater o descaminho de vinhos. Essa operação teve a participação de 11 servidores, que atuam sobre três estabelecimentos localizados na capital paulista. Estima-se que serão apreendidas cerca de 20 mil garrafas da bebida, com valor aproximado de R$ 10 milhões.


Levantamentos apontam que os vinhos importados clandestinamente e sem garantia de qualidade tinham dentre outros destinos o Mercadão Municipal de São Paulo, ponto turístico famoso da capital paulista. As bebidas também seriam vendidas por meio de perfis em redes sociais.



A importação clandestina de vinhos é muitas vezes realizada por organizações criminosas e envolve a prática de outros crimes, como roubo e latrocínio, com utilização de veículos roubados ou furtados para transporte da carga irregular, roubo de cargas e até mesmo homicídio.


Além de ser lesiva à economia brasileira, a prática também prejudica o consumidor, pois as condições inadequadas de transporte e de armazenamento do produto interferem em sua qualidade. Além disso, não há garantia de legitimidade dos produtos, que podem ser adulterados ou falsificados.


Em 14/09/2022, a Receita Federal já tinha feito outra operação e apreendeu 30 mil garrafas contrabandeadas ou falsificadas. Leia a reportagem do DiárioZonaNorte, com a opinião de legítimos importadores de vinho em São Paulo.


Campanha contra falsificações


O assunto contrabando e falsificação de vinhos foi tema da ProWine 2022, realizada no Expo Center Norte – entre os dias 27 e 29 de setembro de 2022. A discussão aconteceu durante o Fórum ProWine – nesta 4ª feira (28/09/2022) em palestra ministrada por Cristiane Foja – presidente executiva da Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe) e mostrou as consequências para o mercado ilegal de vinhos.


Em agosto de 2021, a Abrabe lançou a Campanha Multientidades “Diga Não Ao Comércio Ilegal de Bebidas Alcoólicas”. O objetivo da campanha é reforçar a importância do combate às práticas ilegais no setor, promovendo o engajamento de bares, restaurantes, empresários e empreendedores.


Durante o painel de lançamento, Cristiane Foja, alertou sobre os riscos aos consumidores do comércio ilegal e reforçou que essa prática também é uma ameaça à credibilidade das empresas fabricantes, importadoras e dos estabelecimentos que comercializam bebidas alcoólicas.


A campanha é uma iniciativa multientidades entre ABRABE, ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), ABBD (Associação Brasileira de Bebidas Destiladas), da BFBA (Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas), do IBRAC (Instituto Brasileiro da Cachaça) e da UVIBRA (União Brasileira de Vitivinicultura).



 

0 comentário

Yorumlar


bottom of page